Trança

Rating:
0/10
0

Informações

  • Coreografia: Thiago Granato
  • Ano 2016
  • Local Sesc Pompéia
  • Profissionais Cristian Duarte, João Saldanha, Sandro Amaral, Márcio Vermelho, André Boll,Paula Ströher, David Kiers, Otávio Santiago.

Sobre o Espetáculo

“Trança”, do coreógrafo Thiago Granato, é o segundo solo de uma trilogia, o artista tem se interessado por questões do corpo e da dança mais conceitual: história, herança, autoria, tradução. Tais questões são pedaços de um mosaico que nos mostra como a dança contemporânea tem lidado com as contaminações, as gerações, os movimentos que a definem e este artista, ao dialogar e experimentar no corpo a dança de diversos coreógrafos, antigos ou mais recentes, faz atual este debate.

“Trança” foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014 e é posterior ao “Treasured in the dark”, também apresentado no Brasil. É uma coreografia que mostra a minuciosa pesquisa do gesto que conflui som e luz e nos convida a uma espécie de vertigem, no olhar, na percepção, uma hipnose. Leva a um estado de leveza que vai nos fazendo entrar no gesto, dentro dele, dentro da cena, com pausas e suspensões de surpreendente beleza. Uma coreografia de mãos, o corpo vai desenhando quadros que, não estáticos como uma pintura, são mesmo gestos de sutileza marcante, acostumando nosso olhar de espectador a olhar, olhar, olhar, infinitamente perceber a diferença, o detalhe, a respiração.

Relacionado aos trabalhos de João Saldanha e Cristian Duarte, Thiago Granato deixa pistas de como a composição de cada um foi atravessando seu interesse pelo movimento, ou mesmo como a forma com a qual ele nos leva ao gesto que se amplia em cena também se relaciona com movimentos semelhantes destes dois artistas. João Saldanha, coreógrafo carioca de importante geração do boom da dança contemporânea no Rio de Janeiro de meados da década de 90 e início dos 2000, vem de extensa experiência com sua cia. Cia. Atelier de Coreografia, fundada em 1986, tendo já completado três décadas de trabalho. Cristian Duarte, coreógrafo paulista, colega de geração de Granato, destaca-se por sua experiência em companhias da cidade, sua formação na Holanda e o recente projeto Lote de residência e criação artística, também somando já décadas de atuação profissional. O encontro artístico entre estes três artistas, aqui confluindo na composição artística de Granato em “Trança”, faz-nos exercitar o olhar para o gesto e a construção cênica que se encanta com a repetição, o detalhe, a luz – que ganha destaque na dramaturgia – e a precisão de movimento e qualidade que o artista alcança.

“Trança” é um espetáculo de dança contemporânea, nesta oportunidade de compor o programa Dança Contemporânea do SESCTV, traz o desafio de habituar o público a espaços não costumeiros – o detalhe, a suspensão do tempo, a percepção lenta e gradual daquilo que parece repetir mas muda a cada segundo e o percebemos depois de minutos passados. E a beleza? A beleza surge do nosso olhar que aprende com os detalhes. É uma dança que nos conduz a maior familiaridade com a contemporaneidade e seu hábito surpreendente de investigar o detalhe, o traço, a linha. Este espetáculo faz parte da série de episódios nos quais a dança surpreende pelo que o público não esperaria ver.

x